www . H A R I B O L L . com

Expedição Hariboll.com – América do Sul

AGRADECIMENTO À TODOS !!!!

 Hoje estou voltando da primeira etapa da minha viagem. Incrível como me sinto realizado e muito feliz, transformado em uma pessoa mais consciente em relação à natureza e ao mundo, mais paciente e tolerante em relação às pessoas, mais focado em o que quero da minha vida e com uma bagagem de experiências infinitas, que em dez anos vivendo na rotina do meu dia-a-dia não conseguiria vivenciar.

“Hoje sei que não importa onde esteja ou o que faço, só sei que Eu posso qualquer coisa que deseje”.

 

 

“O ser humano vivencia a si mesmo, seus pensamentos como algo separado do resto do universo
– numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência.E essa ilusão é uma espécie de prisão
– que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto por pessoas mais próximas.
– Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão,
para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza. Ninguém conseguirá alcançar completamente esse objetivo,mas lutar pela sua realização já é por si só parte de
nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior”.
Albert Einstein
 
Sou muito grato a Deus por ter me propiciado esses momentos inesquecíveis e pelas amizades feitas e também me sinto privilegiado por ter passado em lugares maravilhosos em que poucas pessoas percorreram e agradeço a todos as pessoas que me acompanharam on-line, em forma de pensamentos positivos ou sendo incentivadores nessa expedição. Na Seicho-No-Ie eles ensinam a agradecer a Deus por tudo, tudo mesmo! A comida, roupa, casa, o lugar onde moramos, a cama que dormimos, as pessoas, a tudo mesmo!, e nem sempre fazemos isso, em uma parte da minha viagem, fiquei cinco dias acampado subindo e descendo montanhas e dormindo em saco de dormir numa temperatura por volta de 0ºc de dia e -10ºc a noite, ai que descobrimos o quanto é importante nossa casa, Pai, Mãe, Irmãos, Amigos, feijão com arroz, pizza, cama, cobertor e etc. e aprendemos o quanto temos que dar valor a tudo aquilo que temos, mesmo que pareça pouco para algumas pessoas, não é, pois estamos vivos e temos que agradecer a Jah pelo ar que respiramos, pelo sol que nos aquece, pela água que nos faz viver e pela terra e toda sua natureza. Então MUITO OBRIGADO!, MUITO OBRIGADO!
“… Hoje entendo bem meu pai. Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou tv.
Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor.
Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto.
Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos,
e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”.
Amyr Klink.

Em cada lugar que chegava agradecia muito a Jesus, pois sempre fui muito bem tratado por todos ainda mais quando descobriam que estavam falando com Brasileiro, é incrível como gostam dos Brasileiros, o meu boné era a chave da porta da frente de qualquer lugar.

Um dia falando com um amigo no MSN, ele me perguntou ” Está tendo muitas surpresas na viagem?” Resposta.”Muitas, mas uma mais linda do que a outra”, Krishna a cada dia me presenteava com uma surpresa diferente, era um lugar fantástico, um animal diferente, um pôr-do-sol fascinante ou um amigo novo.

 

Não tem preço a sensação de conhecer novos lugares, ver o sol nascendo em meio ao mar, o pôr-do-sol em meio às montanhas, ver a lua em pleno dia ou a lua cheia iluminando uma cidade que nem luz tem, ver a força e as mudanças da natureza, ver os animais em seu próprio habitat, e conversar com pessoas dos lugares e ver que o mundo não é só onde moramos, as pessoas vivem nesse lugares ! Acho que Viajar é isso, é Viver Intensamente!

 

 

Rools Reggae
Boa Vibração
Deixe que te leve
Seja livre para viajar
Seja livre para ser feliz
Se está cansado de viver do lado de lá
Faça aquilo que sempre quis
(Chimarruts)
Foram 90 dias de viagem conhecendo mais de 60 cidades, 5 paises, e mais de 13.000 km de estrada, paisagens espetaculares e pessoas incríveis, onde pude vivenciar o seu dia-a-dia e ver e absorver tudo o que a de bom que nossos irmãos e vizinhos podem nos ensinar.

Agradeço a todos que acompanharam minha viagem e a todos os incentivadores e colaboradores que me ajudaram a realizar essa experiência. E até a 2ª Fase que começa em 2008.

Rìcardo Cávál
Fotografo
www.hariboll.com

junho 30, 2007 Posted by | Brasil | Deixe um comentário

CHUÍ – URUGUAI / BRASIL

Cheguei no Chuí por volta das 22h45 e fui para rodoviária Brasileira, a cidade já estava vazia e tudo fechado com algumas pessoas na rua e lógico é uma cidade muito esquisita e escura. Às 23h30 peguei um ônibus para Porto Alegre pela empresa Planalto, foi uma viagem tranqüila.
Encontrei no meio da rua uma Paulista (meia perdida) que estava indo fazer um mochilão rapido até Punta del Este, ela me disse que ficou sem dinheiro e como lá só tinha Banco do Brasil teve que ir para outra cidade para sacar, ela ficou decepcionada quando falei que não tinha nada em Punta nesta época, ela queria curtir uma balada, mas foi falta de planejamento dela pois Punta é legal no Verão. Espero que tenha tido uma otimo passeio.

junho 5, 2007 Posted by | Uruguai | Deixe um comentário

PUNTA DEL DIABLO – URUGUAI

04/06 – segunda-feira
ÀS 12h00 o ônibus passou sentido a Castillos uma cidadezinha de interior bem simpática e cheia de estudantes e de lá fui para Punta del Diablo, o ônibus me deixou na estrada, da estrada até a cidade tinha uns 3km que por sorte no meio do caminho um senhor em uma carroça me perguntou se queria uma carona, lógico que sim, ai foi Eu, dois garotos que vinham no mesmo ônibus que eu e o senhor, ufa! o senhor quebrou o maior galho! O única pousada da cidade estava fechada, e logo ao lado tinha uma mercearia que fiquei conversando com um casal de senhores que já tinham conhecido todo o sul do Brasil e eles me indicaram um rapaz que alugava cabanas que estava passando com uma carroça cheia de lenha, aguardei ele retornar e aluguei uma cabana bem legal por US$10, a primeira coisa que fiz foi tomar um banho bem demorado, pois fazia dois dias sem ver chuveiro. Isso é bom demais ! Tomei meu banho, agradecendo !!!!! A cidade estava vazia, tudo fechado, conheci os arredores a praia e encontrei um lugar que vendia passagem e vi que tinha um ônibus para o Chuí que saia as 21h30. Como já não tinha muito o que fazer ali achei melhor comprar a passagem e as 21h30 peguei o ônibus.

junho 4, 2007 Posted by | Uruguai | Deixe um comentário

CABO POLÔNIO – URUGUAI

04/06 – segunda-feira

Hoje sai cedo para curtir mais um pouco os lobos marinhos e toda a vida natural que o Cabo Polônio nos proporciona, às 11h00 peguei o caminhão 4×4 até a estrada e ás 12h00

03/06 – domingo
Tomei um café com bolacha e fui andar pela costa rodeada de dunas, estava muito vento e tive que me abrigar bem pois a areia chegava a machucar a pele de tão forte que estava o vento, andei por volta de 5km pela costa com muitas aves marinhas fazendo um ballet no ar e muitos lobos marinhos mortos pela praia e também muito lixo, acho que é lixo que vem dos navio que passam por aqui. Quando chego bem próximo da final da costa encontro um Pingüim todo cheio de petróleo, não sabia o que fazer, quando chegava perto ele ficava nervoso e resolvi andar mais um pouco para chamar alguém para ajudar, mas não existia ninguém, fiquei com aquele animal em minha cabeça, quando retornei ao cabo em meio as dunas cheguei no senhor da mercearia para perguntar o que poderia fazer, ele me disse que não tem o que fazer, ele iria morrer. O Cabo Polônio apesar de sua vida natural intensa, não tem pessoas para ajudar a natureza. Fiquei chateado por não poder ajudar o único pingüim que vi em minha viagem.


02/06 – sábado
Peguei o ônibus pela manhã para Cabo Polônio, onde se desce na entrada para o Cabo e de lá se pega um caminhão 4×4 por P$120 (ida e volta), um caminho todo em meio as dunas, cheguei no cabo e aluguei uma cabana de pescador (sem água e luz) tudo precário com um fogãozinho de uma boca e alguns copos e pratos, as paredes pichadas por dentro e por fora, e uma cama de casal com um colchão velho e com a praia bem em frente e também atrás da cabana. O Cabo Polônio é um estreito de areia e rodeada de dunas que tem praia dos dois lados e no final tem um farol da marinha e muitas casinhas brancas e cabanas de pescadores, diz que é o lugar mais inóspito do uruguai. Um lugar lindo e que a natureza mostra sua beleza e força, com ondas gigantescas e muitos pássaros e lobos marinhos. Deixei as coisas na cabana e fui passear pela praia, como já era 14h00 fui até uma pousada que estava aberta, mas
sem hospede e o dono me falou que servia um pescado e aproveitei para comer por P$180 (muito caro), e fui conhecer o farol e a colônia de lobos marinhos que fica atrás do farol , é uma das maiores colônias do mundo e é muito engraçado como eles são preguiçosos, passam o dia dormindo nas pedras. Conheci toda a vila pela orla da praia, com suas casinhas brancas, até parece à Grécia. Fui no único mercadinho aberto em todo o cabo, comprei macarrão, molho, atum, café, açúcar e muita água, pois a água do poço da cabana estava cheia de larvas. Fiz uma pasta com atum e fui dormir as 20h00, acordei muitas vezes durante a noite pelo vento forte que parecia que ia arrastar a cabana.

junho 4, 2007 Posted by | Uruguai | Deixe um comentário

LA PALOMA – URUGUAI

01/06 – sexta-feira
Às 10h00 peguei o ônibus para Rocha e de lá para La Paloma, onde encontrei a cidade vazia e o Hostel HI fechado, mas no site não informava isso, por sorte encontrei uma oficina de turismo aberta onde a moça me indicou hotéis e restaurantes abertos, fiquei em um hotel com cama de casal e televisão com canais internacionais onde pude assistir a globo e a janela para frente do Mar por P$175, mas barato que o hostel.Conheci a praias e fui ao banco eletrônico da cidade e não aceitava bandeira visa, então peguei o ônibus para Rocha novamente para ir ao banco e retornei, são apenas 30min, fui ao restaurante comi um Pizza e fui para o hotel, pois amanhã vou para o Cabo Polônio.

junho 1, 2007 Posted by | Uruguai | Deixe um comentário